RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: Viana

Sigam os vossos sonhos e dêm o vosso melhor – assim escreveu Stefano Viana no livreto do seu álbum. E Viana é bem a prova da capacidade de luta e perserverança do italiano. Da sua ligação com Alessandro del Vecchio saiu um disco de hard rock que o guitarrista já ansiava há 8 anos. E foi na primeira pessoa que conhecemos um pouco de toda a história de luta e entrega.

Olá Stefano, como estás? Obrigado pela tua disponibilidade. Finalmente, um disco teu. Há quanto tempo procuraste este momento?
Estou bem e feliz por conversar contigo! E estás certo, finalmente o CD está cá fora! Esperei 8 anos por este momento! É um sonho tornado realidade!

O que se passou para que nenhuma das tuas gravações em 1996 tenham visto a luz do dia?
Naquela altura descobri as técnicas de gravação e desenvolvi a minha paixão pela escrita de canções. Depois desses dois discos, senti-me bem porque a minha paixão deu-me força para melhorar e fazer as coisas melhor do que tinha feito antes. Além disso, conheci uma pessoa especial e um aliado fundamental: Alessandro Del Vecchio. Hoje em dia sei por que essas gravações nunca viram a luz do dia e escrevi no livreto do meu CD de estreia: "sigam os vosso sonhos e dêm o vosso melhor"! E a verdade é que os meus discos anteriores não eram o meu melhor!

Há alguma música que tenhas recuperado dessas gravações para este disco agora?
Nenhuma! Escrevi todo o material novo para este álbum, queria dar o meu melhor! Por isso trabalhei arduamente nas estruturas e nas progressões de acordes. Tinha uma ideia clara, dez músicas homogéneas de hard rock com duas baladas, sendo que uma delas deveria ser acústica. Foi isso que fiz!

O papel de Alessandro del Vecchio foi absolutamente fundamental para este teu progresso… 
Estás certo! Se foi! Primeiro ouviu as minhas demos e depois planeamos como gravar essas coisas. Além disso, ele escolheu os músicos certos para tocar as minhas músicas! Escreveu todas as letras, e depois desse passo, o seu grande presente foi fazer os vocais principais! Foi uma grande surpresa para mim!!!

E quanto a este álbum que agora é lançado, quando começaste realmente a trabalhar nele?
Comecei no segundo semestre de 2007, queria escrever as minhas dez melhores músicas de todos os tempos. Precisava de mais de um ano para fazer isso, portanto mostrei o resultado ao Alessandro para começar a trabalhar em todo o projeto.
   
Para quem ainda não conhece o teu trabalho, como descreverias Viana?
Viana é um álbum de hard rock melódico, honesto e sólido! Está cheio de melodia, mas também há muitos Marshall e baterias trovejantes! Isto para não falar a respeito do que Alessandro Del Vecchio fez nos vocais principais!

Dadas as dificuldades que sentiste ao longo dos anos, isso está refletido nas tuas letras ou não? 
É uma boa pergunta, mas precisas saber que gravamos 90% das faixas em 2009. Assim, a música foi inspirada por esse período: estava a ser pai pela primeira vez! Depois disso, tive um grande problema que me forçou a concentrar-me na minha família. Perdi a minha música e toda a minha inspiração. Em meados de 2016, respirei e falei com Alessandro sobre o projeto antigo e chamamos Francesco Marras para terminar os solos da guitarra. Além disso, Alessandro fez novas misturas das faixas e também as masterizou.

Como foi a seleção dos músicos que te acompanham? 
Foi muito simples: foram-me sugeridos por Alessandro. Tinha e ainda tenho confiança total em Alessandro! Deu-me a oportunidade de trabalhar com pessoas incríveis e músicos incríveis como Alessandro Mori, Anna Portalupi, Gabriele Gozzi e Francesco Marras! Pasquale India é um amigo meu que sabe o que a minha música precisa!

E serão os mesmos músicos que te irão acompanhar ao vivo?
De momento, é absolutamente impossível, porque são músicos de sessão e estão concentrados nos projetos, mas como aprendi com o passado: nunca digas nunca!

Por falar em palco, tens alguma coisa planeada para os próximos tempos? 
Esta resposta está estritamente ligado à anterior: adoro os elementos que tocaram no meu disco, mas é difícil planear uma tournée por causa dos seus compromissos com outras bandas. Quero agradecer-te, Pedro, pela tua paciência, porque nestes dias tenho andado muito ocupado a promover o CD e obrigado pelas tuas perguntas! Apreciei. Rock on!

Comentários